Primeira vez: quando deve acontecer a primeira visita ao ginecologista

Essa vai para as mães de meninas assim como eu. Sempre fica a dúvida: levar ao pediatra ou ao ginecologista? Com que idade posso levá-la no gineco? Como escolher um ginecologista? Para tirar essas e outras dúvida conversamos com Dra. Flávia Fairbanks, graduada pela Faculdade de Medicina da USP, realizou residência médica em Ginecologia e Obstetrícia no Hospital das Clínicas da FMUSP, foi médica preceptora da Ginecologia do Hospital das Clínicas da FMUSP. É Pós-graduada em Ginecologia do Hospital das Clínicas da FMUSP nos setores de Endometriose e Sexualidade Humana.

consulta ginecologista
Qual a idade certa para a primeira visita ao ginecologista?
Segundo a Dra. Flávia não existe uma idade certa para isso, cada menina é única. A primeira visita deve ocorre no início do desenvolvimento sexual secundário (crescimento mamária, surgimento de pelos pubianos e axilares). Ao consultar o ginecologista será averiguado todo estado clínico da menina, nessa fase de desenvolvimento é muito importante acompanhar para ver se não há nenhuma anomalia ou problema de desenvolvimento dos órgãos reprodutores.

Qual a importância do acompanhamento ginecológico?
Toda mulher precisa de acompanhamento desde a adolescência até a terceira idade. "O ginecologista pode ser considerado o médico integral da mulher, já que é aquele que a acompanha desde a adolescência até a senilidade, participando dos momentos mais especiais de sua vida, tais como: primeira menstruação, primeiras relações sexuais, gestação e menopausa", afirma Dra. Flávia.

Qual a importância da escolha do médico?
A jovem deve se sentir a vontade com o ginecologista que lhe atender. Dê preferências as mulheres, pois isso não causará desconforto inicial na sua filha. Segundo a Dra. Flávia, atualmente, os assuntos que mais despertam interesse nas jovens são as temíveis doenças sexualmente transmissíveis: sua forma de contágio, sintomas, tratamentos disponíveis e vacinas, além dos anticoncepcionais. "Também ganha espaço a sexualidade das adolescentes: a qualidade da relação, dores na relação sexual, busca e obtenção de prazer. Parece-nos que a mulher aprendeu a buscar sua satisfação desde o início da prática sexual, o que melhora sua qualidade de vida global", diz a ginecologista.

Sempre converse francamente com seus filhos e lhe tire as dúvidas, se não souber responder procure uma ginecologista de sua confiança, passe a eles o apoio necessário para que eles tenham uma vida sexual saudável e segura.