É possível ter plantas dentro de casa! Veja os cuidados

jardim interno Para muitas pessoas que vivem em apartamentos ou casas pequenas, parece impossível o convívio com as plantas. Mas ter plantas dentro de casa é muito bom e saudável, elas trazem felicidade e beleza para os ambientes, embora algumas pessoas tenham dificuldades em mantê-las bonitas. Os maiores agravantes são pouca luz natural, pouca ventilação, espaço limitado e luzes artificiais. No entanto para tudo há uma solução, e têm plantas que se adaptam muito bem a apartamentos ou casas. Para falar sobre o assunto, dar dicas e citar algumas espécies, contatamos a paisagista Rita Ortega e a arquiteta urbana Patrícia Miranda.

Como esta necessidade de ter um maior contato com a natureza é cada vez mais presente nas grandes cidades, os paisagistas trabalham arduamente para encontrar soluções para que as pessoas se sintam satisfeitas em suas casas. A arquiteta Patrícia Miranda afirma: "é totalmente possível ter plantas dentro de um apartamento ou em casa. Na sala, hall, sacada, varandas, cozinha e até no banheiro". A paisagista Rita Ortega declara: "é perfeitamente viável cultivar plantas até onde não há espaço físico, como exemplo os Jardins Verticais, que podem ser instalados em uma simples parede de 60 cm de largura" e complementa: "eles não umedecem a parede, tem um preço bem acessível e são utilizadas plantas de acordo com o local".

Mas alguns cuidados são essenciais, confira a lista das especialistas: 

Luz natural:
"Algumas plantas são consideradas de interior por sobreviverem em locais fechados e não precisarem de sol direto, mas é importante que elas recebam luminosidade por pelo menos seis horas durante o dia", informa Patrícia Miranda. Para resolver o problema, a paisagista Rita Ortega dá uma sugestão: "Procure colocá-las próximo às janelas ou com uma lâmpada artificial, mas lembre-se de apagá-la durante a noite. Algumas plantas são resistentes à pouca luz e pouca ventilação, como a Zamioculca, elas inclusive gostam de ambientes quentes e consomem pouca água".

Temperatura: "Desaconselho altas temperaturas ou locais que possa acontecer um 'choque térmico' (bruscas trocas de temperatura). Em áreas com ar-condicionado, deverá ser feito um estudo específico para o local com um profissional", alerta Patrícia Miranda. "Outro item importante é manter qualquer planta em lugar arejado, pois quando não existe ventilação, o ambiente fica propício para o aparecimento de doenças e pragas" complementa a arquiteta.

Adubação: Segundo Patrícia Miranda "a limpeza e adubação devem ser pelo menos a cada 60 dias". Já a paisagista Rita Ortega acrescenta: "As plantas criadas em vaso e dentro de casa demandam um cuidado um pouco maior com a adubação, pois os nutrientes no vaso se esgotam mais rapidamente". E complementa: "É importante adubar quinzenalmente com adubos organo-minerais para enriquecer o solo e também borrifar as folhas com adubos foliares. Tenho algumas sugestões de adubos orgânicos que as plantas adoram: saquinhos de chá (após utilizá-los, coloque o pó no substrato, misturando-o superficialmente à terra), pó de café (depois de usado misturado à terra) e casca de ovo triturada também fornece muitos minerais para as plantinhas".

Rega: A paisagista Rita alerta: "quanto à rega, é muito importante seguir a orientação do produtor com relação à planta que você adquiriu. Algumas gostam muito de água, outras preferem o solo bem drenado e pouca água". E complementa: "vale a pena consultar um profissional para que você não erre na hora de manter sua plantinha. Uma boa média para elas é uma vez por semana para plantas de interiores e até três vezes por semana para plantas com exposição ao vento e sol pleno". Patrícia Miranda, por sua vez, alerta para a escolha da água: "no caso das violetas o ideal seria regá-las com água sem cloro (ou seja, da chuva ou opções engarrafadas vendidas no mercado). A água da torneira (clorada) prejudica o bom desenvolvimento e saúde dela; lembrando que se deve ter cuidados na hora de regar: a água não deve ser jogada sobre as folhas, mas por debaixo delas". Uma dica caseira é sempre verificar com o dedo como está a terra (observando que está seca) ela precisa ser regada.

Leia também:
Cuidado!!! 9 plantas venenosas

Patrícia Miranda faz algumas sugestões para a adequação das plantas ao ambiente interno: "Você pode reservar um cantos na sua casa e colocá-las integrando com uma poltrona, próximas às janelas, em um corredor de passagem, na sacada ou varanda da casa. Além disso, você pode criar canteiros ornamentais e ainda a opção de obter também um paisagismo vertical ou quadro vivo, por exemplo para quem não reconhecer em sua casa nenhum lugar a não ser uma parede". Segundo a paisagista Rita Ortega as plantas queridinhas de interiores são a Zamioculca e a Raphis. "Elas exigem pouca iluminação e pouca água, apenas uma vez por semana já é suficiente. Podem ser colocadas em vasos grandes no canto da sala ou até mesmo em cachepots sobre os móveis".

Veja alguns exemplos de plantas para áreas internas e sombras: 

Zamioculca (Zamioculca zamiifolia)

Esta planta se adapta bem à luzes artificiais e ar concionado, sendo ideal para ambientes fechados. Ornamenta muito bem salas de estar, halls de entrada, varandas.

Palmeira Ráfia (Raphis excelsa)
Esta planta, quando criada em canteiros pode alcançar de 3 a 4 metros de altura. Já quando plantada em vasos não cresce mais do que 1 metro. Ideal para salas, sacadas e terraços.

Echeveria ou Rosa-de-Pedra (Echeveria elegans)
É uma planta suculenta, muito indicada para ornamentar banheiros, assim como os cactos. Ambos são uma boa opção para quem é um pouco esquecido, pois elas precisam de pouca água e poucos cuidados.

Palmeira Camedórea (Chamaedorea elegans)
Uma planta de pequeno porte, ideal colocá-la próximo a uma janela, pois assim recebe luminosidade adequada para manter suas folhas verdes.

Palmeira-leque (Licuala grandis)
Uma palmeira de pequeno porte com as folhas que lembram os leques japoneses. Ornamenta muito bem salas e áreas de convívio social.

Dracena Malaia (Pleomele reflex)
A planta é um arbusto muito usado, vive bem em espaços internos bem iluminados. Recomendada para sacadas, mas não deve receber o sol forte da tarde.

Lança-de-São-Jorge (Sansevieria cylindrica)
Esta planta é utilizada misticamente para afastar o "olho gordo". Muitas pessoas acreditam que a planta é tóxica ou venenosa, por isso se deve evitar a proximidade de animais domésticos e crianças. Fica muito bem em entradas, corredores e varandas.

Lírio da paz (Spathiphyllum wallisi)
Planta de pequeno porte, não mede mais do que 40 centímetros. O lírio é ideal para decoração de mesinhas de canto, aparadores ou mesas de centro.

Bromélia (Neoregelia)
Folhagem bonita e de fácil adaptação à interiores, pois precisa de pouca luz natural. Ornamenta bem em salas, aparadores ou jardins internos.

Orquídeas (Phalaenopsis)
Planta de pequeno porte, se adapta facilmente a ambientes internos. Desde que colocada próxima a janelas para receber a luz do sol. Fica bem em salas de estar, jantar, quartos e varandas.

Samambaias (Nephrolepis exaltata)
Esta planta é própria para interiores, pois necessita de cultivo à meia sombra. Ideal para banheiros, salas, hall de entrada, varandas.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Abacaxi com mel para gripe, tosse e pneumonia

Como tirar manchas de caneta de calça jeans?

Os 10 blogueiros mais famosos do Brasil