Como resolver os 3 maiores problemas na amamentação

amamentaçãoAmamentar um bebê é muito mais do que alimentá-lo, é um ato de doação, entrega total e amor. Eu não consegui "parir" nenhuma das minhas filhas, pois uma nasceu prematura em decorrência de bolsa rota e a outra era muito grande e não havia dilatação. Mas ninguém me tira o prazer de ter amamentado a mais velha até os dois anos e meio e a pequena, que já está com cinco meses.

Quando estava no hospital vi a dificuldade que algumas mães (a grande maioria delas) tem ao amamentar e para isso resolvi compartilhar algumas experiências e dicas que podem facilitar este momento. Conheça os pontos que prejudicam a amamentação e como resolver:

1° Dor
Muitas pessoas vão dizer que dói, e pode doer mesmo, mas tudo faz parte de uma conexão entre você e o bebê, de como irão aprender um com o outro. Na minha primeira gravidez eu tinha 23 anos e me ensinaram a preparar o seio durante a gestação, eu fiz massagens e passei uma pomada muito conhecida chamada Massê, foi muito boa e meu seio nunca teve rachaduras. Como o bebê fico internado utilizei também aquelas bombinha de tirar leite, nesse caso doía muito.

Já na segunda gestação os primeiros dias foram assustadores, não havia feito uma preparação nos seios, pois achava que já estavam preparados por eu já ter amamentado. Outro ponto foi que minha bebê nasceu com muita fome e o colostro não a alimentava, então ela fico 24 hs grudada sugando, isso deixou os meus seios rachados, sangrava e doía muito. Quando desceu o primeiro leite ela dormiu um sono longo o que levou o meu seio a outro problema, eles empedraram. Como resolver? Falei com as enfermeiras e com uma espécie de profissional da amamentação sobre as rachaduras e o excesso de leite. Elas me deram um vidrinho com um óleo dentro, um santo remédio, aliviou a dor das rachaduras na hora e para o excesso de leite um simples conselho: esvazie bem um seio para passar para o outro. Você deve estar se perguntando 'mas como?'. E a resposta é simples, de qualquer jeito. Amamente até ficar bem muchinho e depois passe para o outro seio, se o bebê não esvaziou o seio, quando ele acordar novamente coloque-o para mamar o restante nesta mama e só depois troque-o para a outra.

2° Vergonha
Amamentar o bebê em público pode te deixar um pouco constrangida, mas lembre-se você não está fazendo nada de errado. As pessoas irão olhar, algumas terão aquele olhar de desaprovação, outras te olharão como se estivesse vendo a tela mais linda, do maior artista do mundo, DEUS. Todas as situações podem ser constrangedoras, mas pense racionalmente: quando você está na rua e sente fome ou sede, o que você faz? Comprar alguma coisa para comer ou beber, se senta e manda ver, não é mesmo? O seu bebê só quer ser alimentado, está com fome, então sente-se confortavelmente e satisfaça a necessidade do seu filho. Para diminuir o seu constrangimento ou exposição, já existe no mercado um lenço para amamentação, você cobre o seio e o rostinho do bebê e ninguém vê nada, (A minha Bia não gosta, pois ela adora mamar vendo o que acontece ao redor dela).

3° Insegurança
Ás vezes passa pela nossa cabeça: "Será que o bebê está bem alimentado? Não tenho leite suficiente. Meu leite parece ser tão fraco". Você podem ter certeza que nada disso é verdade. Em primeiro lugar, bebês com fome choram, não dormem e nem engordam. Se este não é o caso do seu bebê é por que ele está bem alimentado e você tem leite suficiente. Já tive esta insegurança, ainda mais naqueles dias em que as mamas estão bem muchas, mas basta tomar bastante líquido e me alimentar bem que elas enchem novamente. Lembre-se: você deve estar bem hidratada e alimentada para dar um leite de qualidade para o seu bebê. Li várias matérias sobre amamentação e em todas elas os especialistas repetem que não existe leite fraco, pois o leite materno é o alimento mais completo que o bebê pode necessitar.

Questões resolvidas?!? Você pode e deve amamentar o seu filho. Mas se não houver jeito e você não conseguir, não deixe de fazer da alimentação do seu bebê um momento especial. Mesmo que seja com mamadeira, dê o colinho e acaricie-o enquanto ele mama.