A semente da vida

fases da vidaEstava aqui escrevendo e pensando, por quantas transformações e mudanças passamos durante nossas vidas? Nossa, são muitas... Nascemos, crescemos, namoramos, casamos, tornamos pais, envelhecemos. Essas são as básicas, mas como passar por tudo isso e não se deixar abalar?

Plantando a semente...
No princípio não passamos de sementes, plantados pelo pai no ventre da mãe. Lá germinamos, nos alimentamos e crescemos até chegar o grande momento...o nascimento.


Quando uma flor nasce...
Saímos da barriga de nossas mães quase que sobre protesto, aos berros, sem entender o que está acontecendo. Então, chega ela, nos toca, cuida, alimenta, estamos protegidos. Parece que será para toda vida, ledo engano.

Começa a crescer...
Lá estamos nós, na porta da escola, aquela mulher estranha nos segur pela mão, a mamãe está no portão indo embora. São muitas crianças e um adulto estranho tomando conta de mim, aonde está a mamãe?

Desabrochar...
Estamos entrando no segundo grau. Que mico quando a mãe vai na escola me levar. Festas, paqueras, notas baixas, corpo desengonçado, parece que o mundo conspira contra a gente. Muito ruim esta fase.

Florescer...
Estamos entrando na vida adulta. Já conseguimos administrar o nosso corpo e nossa vida. Existem momentos complicados, decidir qual faculdade fazer ou encontrar emprego, já não podemos ficar na barra da saia da mamãe, bem que queríamos, colo só em situações extremas, agora já somos adultos.

Semear...
Agora já podemos entender o porque de tanto zelo, nos tornamos pais, as preocupações mudam, as prioridades mudam, voltamos a sorrir com pequenas coisas, como um cachorro correndo atras do próprio rabo ou uma borboleta sobrevoando as flores no jardim. É um momento de plenitude, de pura felicidade e muita preocupação.

Murchar ...
Agora nossa missão está cumprida. Nossos filhos já passaram por todas as transformações da vida, já tem os seus próprios filhos, suas preocupações, e seu desenvolvimento. Nossa vida foi produtiva e feliz. Começamos a relembrar o passado com certa nostalgia. Temos a impressão de estarmos murchando para vida. Quando conseguimos (muitos conseguem) nos "adubar" nos revitalizamos e vivemos mais. Até o grande dia em que damos adeus a vida, e como uma flor, simplesmente deixamos de existir.

Como as flores e as plantas, nascemos, crescemos e morremos, deixando na terra nossas sementes para continuar a grande beleza da vida.