Como eliminar as formigas que invadem a casa?

No verão há um aumento significativo das pragas e insetos dentro das casas. O aumento do calor, da umidade do ar e da vegetação são ideais para reprodução desse seres minúsculos e inconvenientes. Entre os mais comuns em residências estão as formigas. Elas andam por tudo, caminham sobre os alimentos, destroem as plantas, estragam equipamentos elétricos. São verdadeiras invasoras!


Mas como evitar uma infestação e se livrar delas? Para responder estas e outras questões conversamos com Alessandro Azzoni, conselheiro do CADES (Conselho Regional de Meio Ambiente, Desenvolvimento Sustentável e Cultura de Paz) e Alexandre Ortega, idealizador da Franquia DDO ("Desencantador de Obras").

Leia também:
Quais os cuidados necessários para ter um jardim bonito?

Segundo Alexandre Ortega, o aparecimento de formigas nos grandes centros urbanos é muito comum. "Existem cerca de 30 espécies de 'formigas urbanas', desde as muito pequeninas, chamadas 'fantasma' - pequena e quase transparente -, até as bem grandes - pretas ou marrons -, que são a louca e a faraó, que inclusive pica e fica muito dolorido. Por isso o ideal é descobrir qual espécie invadiu a sua residência". Para o Alessandro Azzoni podemos dividi-las em dois grupos: "As endêmicas e as exóticas. As endêmicas procuram por comida, se alojam em plantas e acabam fazendo até um controle ambiental. Já as exóticas procuram exclusivamente por doces e devem ser combatidas, pois além de formarem colônias, podem transmitir doenças".

Acabe com a festa das formigas
Entre os fatores que favorecem o aparecimento e infestação por formigas está a falta de uma higienização correta dos ambientes. "Elas encontram alimento farto dentro das casas e ficam protegidas de seus predadores naturais, por isso acabam fazendo seus ninhos ali", afirma Alexandre Ortega. E para acabar com a festa das formigas e colocar 'ordem na casa', ele explica que o primeiro passo consiste em "adquirir alguns hábitos que são simples e de grande resultado". E depois nos dá algumas dicas como:

- Evitar levar alimentos para a sala ou quarto;
- Evitar deixar restos de alimentos em pratos ou panelas pela casa;
- Limpar todo o ambiente após o preparo de alimentos e após as refeições;
- Manter as lixeiras fechadas;
- Utilizar soluções caseiras nos buraquinhos onde elas fazem os ninhos e fechar definitivamente as frestas com rejunte, massa de vidraceiro ou até mesmo sabão em pasta.

Além disso existem algumas soluções caseiras que podem afastar as formigas, esclarece. O vinagre branco pode ser um grande aliado nessas horas. "Uma boa dica para evitar que elas apareçam é borrifar vinagre branco na cozinha, após a limpeza. O produto afasta as formigas". Outra dica preciosa do especialista é o detergente de cozinha: "Quando as formigas já se instalaram, é preciso verificar por onde elas entram e saem e injetar nos buracos uma solução de água com detergente, com uma seringa. O detergente retira a camada de cera que protege as formigas e elas morrem por desidratação". E complementa: "dentro do açucareiro é só colocar alguns cravos da Índia. Esses podem ser espalhados, em saquinhos de tule, nas gavetas e armários". E também alerta: "Evite colocar veneno, pois é muito perigoso, principalmente se tiver crianças ou animais".

Nada está adiantando, e agora?
Mas se não houver jeito de acabar com a infestação das formigas, o conselheiro do CADES, Alessandro Azzoni sugere o uso de formicidas ou a troca do produto utilizado por um novo, "pois como as formigas vivem em colônias, as sobreviventes podem ficar imunes ao veneno já utilizado. A dica para aplicar o novo veneno é localizar o formigueiro e dispensar uma dose maior". Após as aplicações de veneno os cuidados devem ser redobrados "É necessário evitar a exposição de alimentos doces e descobertos em mesas, pia de cozinha ou superfícies próximas às paredes", complementa.

Para concluir Alessandro Azzoni alerta: "Caso as formigas já tenham invadido sua casa, a melhor maneira de se livrar delas é chamar uma equipe de dedetização, pois provavelmente elas estão imunes ao veneno utilizado anteriormente e necessitam de um método de combate mais agressivo".